quinta-feira, 16 de julho de 2009

J'en doute...

Será que é hora de tirar os poemas do fundo da gaveta e arriscar uma publicação... O problema de guardá-los no fundo da gaveta é que um dia você pode perdê-los. Como aconteceu com vários que eu realmente gostava muito. Ai ai, dois concursos literários por aí, um livro que dorme e acorda comigo na minha mente, poeminhas escritos durante uma vida inteira de fuga, falta de tempo, tempo, tempo... Como não tem chance de participar com um poema em outra língua vou colocar um pra vcs se deliciarem aqui:

Jaune

Mon coeur pleure et se tait
tous les fois que ma jeunesse
meure
La folle de ma mère espère tuer
tout le blé de ma fée
mais elle n'y fera jamais
dans ma vie sans automne,
jaune

Ass: eu mesma, Drixz

4 comentários:

Marcela disse...

Não rola uma tradução? hehe

Drixz disse...

Pô, poesia é meio foda de traduzir. Eu escreveria outra em português mas como é uma brincadeira com outra poesia do Paul Vérlaine (Chanson d'automne) acho que perderia um pouco do sentido...

Mari disse...

é, tô com a marcela... num entendi nada hehehe

Davi Miranda disse...

Fazia tempo que eu não via um poema da Drix em francês! Desde aqueles tempos de zine...

Quanto à tradução, o seu querido Maiakovski é quem já dizia: "Poemas são coisas particularmente difíceis de traduzir... Principalmente os meus".

:-"