quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Exatas x Humanas = todos saem perdendo

Não é preciso demorar-se muito no meu blog para constatar que eu sou das humanas. Sempre gostei de ler, de artes, de história e geo-política. Nunca me dei bem com números e, devo confessar, certo tipo de lógica matemática me desconcerta. Entretanto, consigo fazer árvores gerativas de deixar alguns chocados. Embora atualmente, posso dizer modestamente, que minhas atividades são compostas de um tanto de crítica literária e outro tanto de prática docente.

Começo o texto falando de mim não por acaso, mas porque tenho grandes amigos que fazem parte desse misterioso e também fascinante universo da chamada "Ciência", ou "Exatas" como muitos erroneamente insistem em chamar. Eu, inclusive, sou casada com um biólogo (uma das disciplinas mais humanas das exatas). Devido a minha experiência pessoal, muitas vezes ouvi sem ter como revidar, ou por medo de perder os amigos ou por falta de maturidade intelectual, argumentos do tipo "as humanas não servem para nada". Ou, "eu até entendo a psicologia, mas literatura... afe!". O que sempre me intrigou é que muitas dessas pessoas aversas às humanas gostavam de ir ao cinema, ler um livro, assistir um concerto ou ver uma exposição, mas era incapazes de associar uma coisa a outra.

Cheguei a pensar que era um pouco de inveja, pois nós fazíamos algo de que realmente gostávamos e todos partilham do pensamento comum que trabalho só serve para ganhar dinheiro e tem necessariamente que ser chato. Se você gosta do seu trabalho, deve haver algo errado. Para resolver o problema dessa "equação" supõe-se assim que nós não trabalhamos. O que é, no mínimo, errado.

Outra possível explicação para o problema seria dizer que o pessoal das exatas acha que as humanas não servem para nada porque não as entendem, daí também não entenderem sua utilidade. Eu vou tentar exemplicar para que serve a literatura no final desse post, mas antes gostaria de pedir uma "licença histórica".

Vou atribuir o início do ensino como algo institucionalizado aos gregos, simplesmente porque compreendo mais a História a partir deles. Enfim, na Grécia havia a principal "disciplina" ou área do conhecimento que era a filosofia. Dela faziam parte a matemática, a física, a lógica e a biologia. Sim, coisas que parecem hoje absolutamente distintas tem a mesma origem formal. Por exemplo, Pitágoras, aquele do triângulo era um filósofo. A especialização de cada área do conhecimento fez com que as disciplinas se separarem paulatinamente até chegarmos o dia de hoje onde parece ser ilusório supor que um engenheiro tenha algum conhecimento de filosofia ou que já tenha lido Aristóteles.

Não nego porém, que existam muitos profissionais em todas as áreas que tenha um diverso conhecimento do mundo. Mas de onde vem essa hipótese de que as humanas não servem para nada? Bom, quando pensamentos no nome dado para elas, humanas, e nós como seres humanos, deveríamos em si adorar uma disciplina que tem o humano como foco. Mas não é bem assim. As humanas muitas vezes criticam o modus operandi de nossa sociedade, do pensamento, do senso comum e etc. E, ver o humano demasiado humano não é tarefa fácil. Mexe com egos, certezas e zonas de conforto.

Eu acho porém que a principal crítica dos exatos aos humanos é que nós parecemos não nos encaixarmos nessa lógica de mercado e produção que se adequa tão bem às exatas. Você tem uma demanda e cria um produto. O produto é o resultado do seu trabalho. Nós, "humanos" temos produtos, mas muitas vezes eles não são mercadorias, não tem valor de comércio, muitas vezes. Não é um produto químico, um remédio, um celular, uma cadeira, um eletrodoméstico, um carro. Podemos vender obras de arte, algumas com valores muitos superiores à um carro, por exemplo, mas a utilidade do carro é facilmente compreendida por qualquer um - a locomoção. Já o que muitos pensam da obra de arte é que um objeto apenas estético. Se o nosso produto do nosso trabalho não tem valor, pode-se fazer a analogia de que o nosso trabalho também não.

Isso para mim é o como o senso comum entende a arte e as humanas em geral. Mas então eu me pergunto, o que seria do mundo sem nenhuma ciência humana? Podemos nós virarmos apenas consumidores acéfalos? Existe algo nas relações humanas que não se baseie em comprar e vender? Somos homo sapiens, ou homo trabalhus? E sabedoria é apenas saber fazer contas, entender movimentos, compostos, particulas? Não estou dizendo que os cientistas não tenham senso crítico, mas a distância entre as disciplinas e a recente competição estimulada por avaliações feitas com base em apenas parâmetros quantitativos tem prejudicado à todos, mas principalmente as humanas.

Porque? Bom, acho eu que a pesquisa em geral tem um papel social, seja de compreender um fenômeno ou até mesmo resolver um problema. Mas muitas outras questões se apropriam dessa simples natureza. A pesquisa das humanas dificilmente é de interesse do Estado como as pesquisas ou das empresas (que no Brasil aproveitam muito mal nossos pesquisadores). Inclusive, elas podem ser do desinteresse, em determinados aspectos. Mas o interesse do Estado, muitas vezes é contrário ao da sociedade em geral. O problema, a meu ver, é que quando os exatos não tem qualquer interesse em conhecer um pouco mais das humanas, pode entender que está de fato cumprindo uma grande parte do seu papel social, pois está fazendo o seu trabalho. Por exemplo, construindo uma hidreéletrica no Xingu, sem entender que pode estar sendo co-resposável por desabrigar centenas de pessoas que virão a morar ninguém sabe onde. Mas ele estava fazendo apenas o trabalho dele. Não se pode apenas inventar coisas e negar o uso que elas terão. Negar o humano da ciência seria como desenvolver a bomba atômica supondo apenas que ela será usada para fazer a paz e negar o quanto de pessoas elas podem matar.

O que poucos sabem é que a maior parte dos cientistas não estão construindo pontes, enviando satélites e curando o câncer. Muitas das descobertas são feitas por acaso e muitos estudos que estão sendo feito hoje em dia só serão aplicados em alguns anos. Claro que eles devem ser feitos. Mas eu não entendo porque o cara estudar algo agora para ser usado (se for) só daqui há 5 anos é mais relevante do que algo que está acontecendo aqui e agora e que pode ser observado. Também não entendo porque tudo deve ser comparado, humanas versus exatas.

Para que servem as humanas? Fiquei de responder essa pergunta. Vou falar por mim e resumidamente pela minha área. A literatura serve para muitas coisas: distrair, encantar, ensinar, mudar, dar voz e silenciar. Podemos disceminar preconceitos, mas também respoder a críticas e injustiças. A literatura serve para desenvolver a imaginação, deixar um legado, falar em primeira pessoa. Podemos encontrar conforto ou desconforto. Podemos imaginar mundos e fazer previsões futuristicas. Eu consigo imaginar um mundo sem deus, mas não imagino um sem literatura. Deus é um produto literário, o cinema, as revistas em quadrinhos, a música, somos todos parceiros de palavras em diferentes linguagens. Tire a literatura de sua vida e veja que não sobram nem belas palavras para falar ao seu amado. A literatura é a expressão íntima humana/social.

Para encerrar, uma frase de um físico que vcs devem conhecer de nome, César Lattes:

“O homem como cientista é amoral. Só é moral como homem, não se preocupa se o que descobre vai ser usado para o bem ou para o mal. Como toda descoberta científica dá mais poderes sobre a natureza, ela pode aumentar o bem ou o mal.”

21 comentários:

Vinicius disse...

Creio que as ciências de base são taxadas assim.

A administração, gestões em geral, publicidade e propaganda e etc, não sofrem o preconceito da sociologia ou da filosofia, por exemplo.

Drixz disse...

A questão é como administradores, gestores, e afins veem as humanas. Não diria que é muito absurdos que muitos deles nos enxerguem como um bando de vagabundos. Infelizmente.

Vinicius disse...

Sim, esses cursos são de mercado. São funcionais.

Enquanto nós tomamos no nosso rabo com o preconceito de que só "metaforizamos as coisas".. Ou seja, parece que o que fazemos não tem ligação com a realidade.

Rajá Vidya disse...

Faço parte de uma das Ciências Exatas e o fato que de ''desprezamos'' as Ciências Humanas é simples: É algo um tanto trivial. Tão trivial ao ponto de que não damos prioridade a qualquer área das Ciências Humanas.

Drixz disse...

Eu esperava um comentário um pouco mais elaborado. Não acho as ciências humanas triviais, nem tão pouco acho as ciências exatas triviais, só não faço parte do grupo de pessoas que tem um interesse profissional nelas, afiliei-me as ciências humanas. Agora se trivial você quer dizer que não lhe desperta interesse, acho compreensível, mas trivial no sentido de algo que deve ser menosprezado, como vemos ocorrer com o preconceito, aí eu acho que seu comentário é sintomático.

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Unknown disse...

faço parte de uma das ~~~ciências~~~ (odeio o termo - aliás, odeio a separação humanas e exatas, mas fazer o que.......), e não acho ~~humanas~~ triviais, de modo algum

o amigo aí de cima, que acha trivial, deveria usar menos o "nós" e mais o "eu"; esse "fato" de que "desprezamos"... pode parar, hahaha, eu conheço muita gente que não despreza literatura, ou artes, ou filosofia etc e fazem matemática, física, química... não coloque todo mundo dentro da sua frase, é feio =p

enfim, acho que qualquer cientista (seja da matemática/física ou da filosofia/letras) vai ter suas preferências na hora de estudar, infelizmente foi-se o tempo em que os sábios podiam dominar todas as áreas do conhecimento; hoje é tudo tão complexo, que leva-se uma vida para dominar uma pequena fração de alguma área, é impossível se dedicar a todas. Mas pelo menos um pouquinho de cada coisa é possível, válido e necessário, e eu me orgulho de conseguir reservar meu tempo para ler/conhecer coisas que estão fora do escopo da minha área de estudos (curso física). E acho que todo mundo devia tentar um pouco disso, é gostoso =p
Não se faz, por exemplo, física sem conhecer um pouco de filosofia, e nem se faz filosofia sem conhecer um pouco de física...

enfim, é isso.

Drixz disse...

Gostei muito do comentário. Escrevi esse texto já a um tempo e não me lembro bem da minha motivação. Mas conheço sim muita gente que não é preconceituosa em relação as áreas. Mas como disse, hoje em dia é difícil encontrar um Pascal ou um Bachelard.

Milena FS disse...

Eu sou de "exatas", e sou fascinada por música, arte, literatura,filosofia.... E não vejo preconceito entre áreas.

Acredito que esse estereótipo humanístico foi taxado pq. áreas de exatas são de mercado e boa parte de humanas adequamos em momentos de lazer.
Mas não tenha dúvidas que humanas desenvolve e envolve o ser humano.

Milena FS disse...

Eu sou de "exatas", e sou fascinada por música, arte, literatura,filosofia.... E não vejo preconceito entre áreas.

Acredito que esse estereótipo humanístico foi taxado pq. áreas de exatas são de mercado e boa parte de humanas adequamos em momentos de lazer.
Mas não tenha dúvidas que humanas desenvolve e envolve o ser humano.

Anônimo disse...

Creio que o grande problema do mundo é isso, a comparação e generalização de coisas que são totalmente diferentes. Tenho apenas 17 anos e sou completamente de Exatas, mas convivo num ambiente taxado como "humanas", sou feliz com isso, creio que posso ver os dois lados. Fico realmente triste em ver como as pessoas enxergam a área de Exatas, não somos indiferentes aos sentimentos ou qualquer coisa parecida, até porque existe pessoas assim dos dois lados. Me disseram que não conseguíamos ver as vertentes divergentes do mundo, imaginar ou ciar, mas o que é ser exatas se você não está imaginando para depois poder criar.
Dizer que fazemos coisas nas quais prejudica o mundo é terrivelmente cruel, não somos só assim. As duas áreas são assim. Entendo que humanas, sendo mais clara com você, literatura é importante, amo ler e tenho uma coleção maravilhosa de livros de todos os gêneros, mas ciências também é bonita, na verdade é LINDA. Poder enxergar a beleza de tudo isso é algo grandioso e especial, vejo beleza em humanas e nunca disse nada que magoasse a área. Imagino que você não quis magoar as pessoas de exatas quando disse tudo isso, pode até parecer inofensivo para você, mas para mim, não.
É horrível ser vista rotulada desse jeito, é um pensamento pequeno e egocêntrico, onde você só está enxergando o seu lado, num mundo que existe muitos.
Acho literatura LINDA, FASCINANTE e Física descreveria com as mesmas palavras. Não somos diferentes, pensamos diferentes, vemos vários mundos de maneira diferentes, imaginamos e criamos juntos. A imaginação e a curiosidade é o princípio de um pensamento científico, assim como um pensamento "humano".
Você citou a hidroelétrica como algo ruim que criamos, mas e a política?
Humanas debate e pensa, mas poxa, são exatas que vai lá e cria, cria o que pode ajudar vocês a desenvolver o que desenvolvem. Afinal quem inventou o computador que você usa? Ou suas redes sociais, seu celular, a impressora para você ter seus livros? E são poucas ás vezes que vejo um de nós dizer que é melhor que vocês. Não somos uns melhores que os outros, até porque quando um é melhor que outro? As áreas deveriam se unir, ser uma coisa só, se separadas elas mudam o mundo, imagina juntas! Podíamos revolucionar, imaginar e depois criar.
Achei cínica a sua atitude de escolher a frase do César Lattes para terminar, existe muitas frases melhores e você sabe disso porque não é burra. Fazemos sim coisas ruins, mas não somos os únicos, não é mesmo?
Deixe sua mente mais aberta, comece a enxergar todos os lados. Sinto muito se conheceu pessoas de exatas que disseram que sua área não é importante, talvez elas também não enxergam tudo como uma única coisa. Quanto ao fato de que exatas dá dinheiro vejo que você só conhece algumas das áreas, podemos ter dinheiro, assim como também podemos não ter, o que também acontece com humanas ( poxa como eu odeio essa merda de diferenciação da porra).
Espero realmente que você passe a entender melhor, e não nos taxar como produtores. Podemos fazer coisas ruins, mas vocês também.
" A coisa mais bela que um homem pode experimentar é o mistério.É essa emoção fundamental que está na raiz de toda ciência e toda arte."
" O mecanismo do descobrimento não é lógico e intelectual, é uma ilusão subitânea, quase um êxtase."
ALBERT EINSTEIN.

Anônimo disse...

Eu como estudante do ensino médio, não consigo compreender essa briga de humanas vs exatas, entretanto muitos não compreendem o fato de que é possível fazer associações entre exatas e humanas. Até porque se for parar para analisar muitos filósofos foram grandes matemáticos.

Anônimo disse...

Sou da área de exatas, porém, isso não significa que somos insensíveis. Bem, talvez não era essa mensagem que você queria transmitir e provavelmente não foi, entretanto, para mim foi o que deu a entender. Concordo em gênero, número e grau com o que Anônimo (postagem 10 de janeiro 12:12) publicou, faço dele as minhas palavras. Além disso, gosto muito de humanas mas também é bem verdade que é muito mais fácil você encontrar um estudante de exatas que gosta de algo relacionado a humanas e faz disso um adicional para carreira e vida pessoal dele do que encontrar um estudante de humanas que aprecie a física por exemplo e como já foi dito em comentários anteriores nenhuma é melhor do que a outra a física no meu ponto de vista é tão importante quanto a literatura.

Joyce disse...

gostei de Anônimo (postagem 10 de janeiro 12:12) e quero dizer q o titulo do texto nao tem nada haver com o conteudo e so falou mal das exatas. beijos

Anônimo disse...

Que palhaçada! Se não fosse exatas ate existiria humanas sim mas dificilmente VC co seguiria estudar hoje. No mundo atual existe muita coisa ruim, mas não se comparam ao que ha de bom e não foi ninguém da humanas que desenvolveu (criou). Se VC estuda hoje qualquer coisa saibam que é porque sempre existiu exatas. Se VC acende a luz na sua casa, acredite tem uma engenharia por trás disso. Se o mundo esta aonde esta agora foi por causa das exatas e ponto. Se alguém se identifica com outras áreas blz... Cada um curti oq gosta... Agora falar q exatas se compara a humanas em nivel de utilidade e benefícios para o mundo... Vai se ferrar....sinceridade cacete...O mundo gira em torno da engenharia... Se alguem disser que o mundo não depende da engenharia, e se me disserem q o mundo depende de humanas eu mudo de curso rsrs...

Rajá Vidya disse...

Shi shi shi shi shi... Quanta humanidade o meu comentário despertou! Meu objetivo foi concluído! Exatas, Humanas, Saúde, Sociais... Ter domínio do conhecimento de cada pedacinho das ciências é maravilhosamente proveitoso, aquele que me corrigiu dizendo para eu explicitar o ''eu'' e não o ''nós'', não percebe o quão fascinante é a Física, ou Química ou Matemática. É apenas um admirador da ciência. Por isso tanta humanidade em seu comentário! Quanto à trivialidade das Humanas, me refiro à forma de se utilizar o cognitivo. É tão fácil manipular as respostas referidas aos conteúdos Humanísticos, mas estou sendo mal interpretado. Ler artigos de tópicos que não são diretamente voltados para Exatas, não quer dizer que não devam ser lidos. Ler é um exercício. E devemos sempre manter nossa mente em forma. Quem realmente se deixou envolver pelas Exatas percebe que as humanidades não estão em um mesmo nível de importância. Humanas são importantes, quando disse que desprezava as Humanas eu empreguei as aspas para identificar um sentido vago da palavra e não o desprezo literal. Gosto dos livros de F. Nietzsche, um filósofo alemão, gosto de livros de psicologia... Enfim. E continuo defendendo o ponto de vista. O anônimo disse que ''odeia'' a separação Exatas-Humanas. Se essa separação causa ''ódio'' em você, então eu não devo continuar com isso, pois você tem problemas. Caso não seja no sentido literal, então você me entende quando eu disse que desprezava as Humanas. Gostei do comentário do engenheiro aí!

Anônimo disse...

O pessoal de Exatas dizem que Humanas não serve para nada por que ... é verdade.

Anônimo disse...

Parei no " Eu, inclusive, sou casada com um biólogo (uma das disciplinas mais humanas das exatas)."

De fato, vc estudou humans.

Anônimo disse...

O problema Drixz é que você não precisa de um diploma para "desenvolver a imaginação, deixar um legado, falar em primeira pessoa, fazer previsões futurísticas",etc. Qualquer um é capaz de desenvolver a imaginação, não há perigo nisso, você não está lhe dando com vidas humanas. Por isso as ciências exatas tem uma maior importância no mercado. Engenheiros fazem cálculos extremamente complexos porque lhe dá com vidas humanas. Quanto de material é necessário para erguer um prédio, dimensionar vigas e pilares. Escolher os materiais certos para os carros, aviões, elevadores, enfim, a preocupação com as vidas é primordial, vocês de humanas só lhe dão com a troca de ideias, não há nada técnico nisso. Nós de exatas lhe damos resolução de problemas aplicando todo nosso conhecimento técnico e podemos fazer a mesma coisa que vocês fazem.

Drixz disse...

Aos últimos anônimos (e não anônimos) a comentarem, agradeço muito os comentários. Realmente esse não é um dos meus textos favoritos. Acredito que não fui muito hábil em desenvolver o meu ponto. Gostei muito dos últimos comentários, mas confesso que gostaria de entender porque, depois de tantos anos, esse texto voltou a ser lido.
Eu realmente gostaria de complementar algumas coisas nele, inserir algumas ideias que foram colocadas nos comentários, mas confesso que me falta tempo. Acredito que seja possível perceber o quão pouco tenho escrito desde que meu filho nasceu.
Enfim, as ideias presentes aqui são um pouco datadas e como não consigo dar vazão a toda a discussão que sucinto, vou fechar o texto para comentários.
Agradeço a todos pela participação.