terça-feira, 3 de maio de 2011

Da menstruação

Ou das não vicissitudes da vida.

Como sempre, eu ando atrasada nos sujeitos, blogagens coletivas, protestos, eventos e tudo mais. Mas me deu vontade de escrever sobre o tema e só tive esse tempo, então "senta que lá vem a história"!

Já ouvi muita coisa a respeito das vantagens e desvantagens de menstruação. Inclusive, já presenciei uma briga voraz entre minha mãe e minha avó, quando esta última ainda era viva, sobre o famoso chico. Mas no caso delas a discussão era um pouco mais avançada, sobre se a mulher deveria ou não tomar hormônios para menstruar depois da menopausa, ou evitar a menopausa. Tendo em vista minha tenra idade e o fato de estar presenciando uma discussão entre duas hipocondríacas, prestei pouca atenção nos argumentos delas. Mas uma coisa me lembro bem, as autoridades citadas no debate eram o Dr. Fulaninho e o Dr. Ciclaninho (nenhuma doutora no páreo)

Minha opinião a respeito das regras? Menstruação sucks, e se eu pudesse dava cabo dela. Entendo os milhões de argumentos a favor, mas desde que eu fui mordida por esse monstro tenho cólicas atrozes. Sim, eu tomo hormônios, mas por causa dos meus ovários policísticos. Mesmo assim eu não consigo ajustar um hormônio que dê jeito na minha cólica ao mesmo tempo que dê jeito na minha produção ovariana. Eu comecei a tomar hormônios com uns 18 anos para tentar regular minha menstruação e tentar amenizar minhas cólicas provocadas pelos ovários. Um detalhe, minha primeira menstruação foi aos 12 anos. Sempre sofri com cólicas terríveis, mas minha mãe, que tem uma capacidade descomunal de pensar besteira, achou que se eu tomasse pílula mais nova seria um sinal verde para promiscuidade. Ou seja, sofri 6 anos antes de ter um breve alívio. Dos 18 aos 26 mais ou menos eu sentia apenas uma cólicazinha antes do dia M que eu encarava de boa comparando com os sofrimentos anteriores.

Mas sempre me senti desconfortável com mais esse impecílio feminino. Eu não me sinto confiante quando estou menstruada, viu, povo da Always!!!! Nunca colocaria meu melhor vestido e sairia andando lançando olhares sexys pela rua nesse período do mês, como mostram na propaganda brasileira. A daqui me faz revirar os olhos quando no final do discurso colocam a frase "have a happy period, always!" Pra mim e quase impossível ser "happy" se é "period". Para completar, de uns tempos pra cá venho tendo uma volta no tempo, mas no lugar das minhas antigas cólicas, estou tendo enxaquecas homéricas, daquelas que dão ânsia de vômito e tudo. Pelo que ando lendo, a melhor solução seria parar de tomar pílula, mas eu não quero arriscar ter um filho. O DIU não é uma opção pois meu útero é pequeno demais e o diafragma, vamos e convenhamos, é um puta trabalho.

Qual é a conclusão? Tá mais do que óbvio que as pessoas que pesquisam soluções para o nosso dilema são homens, pois se fossem mulheres, inventariam algo que prestasse, tanto como contraceptivo qnt como para resolver nosso problema menstrual.

3 comentários:

Jaquee Ribeiro disse...

Mesmo não tendo cólicas, a incerteza que toma conta de estar ou não com uma mancha de sangue na bunda é horripilante e ninguém me convence de que menstruar é cool.

Glória Maria Vieira disse...

Ai, Drixz! O meu ovário é policístico também, sem falar que da mesma forma que você, eu tomei uns anticoncepcionais para regularizar a coisa que, graças a God, tem andado direitinho.

Você não imagina a quantidade de espinhas que formou no meu rosto por conta dessa minha menstruação tardia (aos 15) em vista das meninas de hoje. Sem falar que era irregular. A minha sorte é que cólica é uma coisa que tenho de vez e nunca e de modo suportável...

Nem sei o que aconselhar a você. MAS "trocar" a dor da enxaqueca pela cólica não é uma escolha boa de forma alguma, né?! UAHSUAHSUHAS :/ Melhoras, viu?!

Drixz disse...

Valeu, eu vou ao médico aqui. Espero que seja de boa. Se não der pra trocar de anticoncepcional, que pelo menos me dê um bom remédio para enxaqueca. :)