domingo, 25 de julho de 2010

Metendo os pés pelas mãos

Sabe aquele comentário que vc faz achando que vai ser entendido e é interpretado justamente do jeito que vc não pensou? E quando vc tenta consertar a conversa toma rumos inesperados e no final vc nem sabe mais do que está falando, mas sabe que disse besteira e tem alguém puto com vc e com razão? Bom, aconteceu comigo ontem e eu acho que vou tentar me retratar aqui no blog.

Eu tenho duas primas que fizeram uma penca de cursinhos e outra penca de vestibulares e nada. Até o dia que não aguentaram mais e entraram numa particular. Só que eu e a minha boca grande em vez de falar que era um absurdo a UnB ter tanta pouca vaga e o governo investir tão pouco em educação e etc primeiro resolvi falar que era um problema o governo estar sucateando o ensino em geral e deixando o desenvolvimento do país na mão das universidades particulares. Claro que eu fui mal interpretada. Não soube dizer o que queria. Existem universidades particulares muito boas, que é o caso dessa que as minhas primas vão estudar e onde a minha irmã estuda e existem outras muito ruins. Eu não me importaria de termos universidades particulares desde que o governo fiscalizasse direito. Mas, apesar isso, pra mim, sempre vai ter um problema. A maioria das universidades visam o lucro, o que faz com que a área de pesquisa seja prejudicada. A tecnologia de base, muito importante para o desenvolvimento do país, demora a dar lucro e portanto, não é muito privilegiada por essas universidades. Pesquisas sociais são feitas, mas já nesse caso eu não posso falar pois não tenho conhecimento se são boas ou não.

Bom, eu sei que as minha primas não escolheram nenhum curso que produza esse tipo de conhecimento. São relativamente muito simples pois depende mais da qualidade do corpo docente e isso eles tem. Eu espero que elas gostem e se dediquem, pois me parece que foram muito esforçadas em tentar uma federal, mas não tiveram sucesso. Eu não desmereço a conquista delas, mas sei que em alguns casos podem sofrer um pouco, e espero que estejam preparadas. Por exemplo, na questão da autonomia. Em geral, as universidades particulares, quanto ao quesito autonomia dos alunos e dedicação, são uma extensão do segundo grau. Se seus alunos não se conscientizam sozinhos, não terão ajuda da universidade nesse sentido. Qual o problema disso? Bom, dependendo do curso e da cidade, profissionais de universidades públicas são mais valorizados no mercado. Não quer dizer que são melhores, mas sabemos que muitas vezes aqueles que vieram de particulares, se não mostrarem dedicação, aperfeiçoamento e não tiverem um bom currículo, um plus, serão prejudicados. Só que aí está o problema. Se a universidade não impõe essa conduta, muitas vezes o aluno que não trabalha e faz particular e acaba não sendo tão exigido na sua autonomia, não adquire essa consciência. Não enxerga que não pode fazer apenas sua obrigação de tirar boas notas pois o concorrente que tiver feito isso numa pública vai se dar melhor do que ele. Não acho que isso é justo ou não. Tenho muitas outras opiniões a esse respeito, mas que isso acontece, é verdade. Eu já trabalhei em lugares onde os patrões diziam "não contrato gente de particular".

Bom, era isso que eu queria dizer, que disse pra minha irmã, e que acabei sem dizer às minhas primas. Mesmo que a universidade e o curso sejam bons, dediquem-se. Não arrisquem ficar pra trás só porque vcs tem consciência que o curso é bom. Afinal, vcs não se contratarão no futuro. E, é claro, parabéns, e boa sorte!

Um comentário:

Caso me esqueçam disse...

lembro bem de um professor de fisica meu dizer pra turma que somente meia duzia dos que estavam ali iam terminar um curso universitario numa universidade publica. lembro do rosto chocado dos meus amigos. achei que o professor tivesse exagerando, mas agora vi que eh verdade. muita gente passou na universidade federal, mas quase ninguem conseguiu concluir. a maioria nao fez nada e, o resto que sobrou, entrou mesmo pra particular. as universidades pipocam e eu morro de medo de ser atendida no hospital por uma enfermeira que fez o curso a distancia, ou nos sabados...