terça-feira, 18 de agosto de 2009

Pense!

Eu estava no baú indo pro trampo quando vi um cartaz "3a marcha nacional da cidadania pela vida". Bom, inicialmente não me chamou muita atenção. Tinha cara de coisa do governo. Na volta, porém, em outro ônibus, havia o mesmo cartaz. A capa era a Elba Ramalho. Pensei: "Legal, show de graça" (apesar de nunca ir nessas paradas). Mas depois me detive no cartaz mais demoradamente. Ele dizia que haveria uma marcha e no final da passeata um show da Elba, que havia doado o cachê para a tal entidade. Não explicava direito o porque da passeata, só os com a vista mais aguçada ou sem problemas de visão, como eu, poderiam ter visto que era uma marcha contra o aborto.

Realmente foi um golpe muito baixo. A campanha apoiada pelo ministério da saúde é extremamente autoritária. As pessoas que participarem da marcha, acredito que poucas vão para lá sabendo o quê estão apoiando, vão para o show. Depois vão pegar aquela imagem e dizer que a população brasileira, ou a maioria, é contra o aborto. Porque não colocar isso em letras garrafais no cartaz? Pq era apenas as letras muídas no rodapé da página? E me pergunto ainda o que cidadania tem a ver com isso? Aquele que pratica o aborto não é cidadão porque? E o mais grave, porque a ausência de debate????

Bom, eu sou a favor do aborto e até onde eu sei não é crime expressar minha opinião. Eu acredito que se é preciso fazer uma passeata escamoteada com o falso pretexto de "3a marcha nacional da cidadania pela vida" deve ser porque ambos estão ameaçados, não? E o governo e as entidades religiosas estão fugindo do debate aberto e claro com a população para usar artimanhas como colocar a recalchutada Elba na capa de um cartaz lindo todo verde amarelo para convencer a população a não fazer algo que está fugindo do controle deles.

Eu acredito que os movimentos pró-vida e etc além de sexistas são retrógrados e autoritários. Talvez eu esteja chovendo no molhado, mas me digam porque raios a minha crença de "vida" tem que ser igual a de um católico ou um protestante ou seja lá qual religião queira? Porque o tratamento ou a transfusão de sangue não é feita na marra em um adventista para respeitar as crenças dele e um aborto não pode ser feito para respeitar as crenças da mãe? Eu posso estar muito enganada, mas ainda existe liberdade religiosa no Brasil, isso quer dizer ainda, liberdade não religiosa, ou seja, se não tenho religião o que me impede de fazer um aborto? Bom, eu acredito sim que as mulheres tem responsabilidade pela gravidez, assim como o pai, o Estado e a **** religião que não deixou a mulher abortar. Enfim, a proibição do aborto é mais uma questão de hipocrisia religiosa e omissão do estado do que um ato de cidadania pela vida. Se o Estado estivesse sendo eficiente em informar a população (e eu digo homens e mulheres) e a religião não confiasse tanto na "abstinência" não haveriam sequer abortos. Se os fiéis não seguem o que a própria doutrina deles prega porque o Estado tem que puní-los? Eu achei que eles eram separados... Ou melhor dizendo, porque o Estado tem que vigiar o cumprimento de uma doutrina religiosa?

Outro ponto, porque tantos abortos? Todos sabemos que a maternidade requer alguns recursos que muitas pessoas não tem. As mulheres são levadas a crer que para tudo nesse caso se dá um jeito, mas muitas vezes isso não acontece. Muitas delas acreditam que trazem uma boa notícia, mas no final acabam abandonadas à própria sorte. As ricas adolescentes mal informadas tem duas opções (que muitas vezes nem podem escolher) ou são levadas a boas clínicas com bons médicos e fazem um aborto seguido de um bom terapeuta ou contam com uma boa estrutura familiar e financeira para cuidar dessas crianças. Mas e as outras? Se mesmo as meninas da classe alta muitas vezes estão mal informadas por um problema cultural e religioso que bane as crianças da aula de educação sexual achando que é perversão imagine as menos afortunadas? Eu sei de um professor de Biologia de um dos colégios mais caros de Brasília que foi proíbido de falar de meios contraceptivos em sala de aula porque a dona do colégio é da Opus Dei. Me diga aí se ela vai cuidar dos filhos das aluninhas mal informadas? Ela oferece creche na escola? Não...

Mais uma coisa, porque a grande maioria da população MUNDIAL ABAIXO DA LINHA DA POBREZA É FORMADA POR MULHERES?

Se vc é contra o aborto porque não briga então pelo resto? Educação sexual nas escolas, maior investimento em métodos contraceptivos, melhor distribuição gratuita dos mesmos, educação e responsabilização dos homens para evitarem gravidez indesejadas, entre outros. Não é simplesmente proibir uma consequência quando no fundo o que se quer é evitar a causa? Porque essas entidades continuam dando murro em ponta de faca?

5 comentários:

Loreley disse...

Vai pensando aí: http://www.youtube.com/watch?v=_GDsuSk1vdA

Nunca havia ouvido nada sobre o IPAS antes de conhecer o vídeo "Vai pensando ai". Segundo informações do site deles:"O Ipas é uma organização não-governamental internacional que trabalha há três décadas com os objetivos de reduzir o número de mortes e danos físicos associados a abortamentos; expandir a capacidade da mulher no exercício de seus direitos de natureza sexual e reprodutiva; e melhorar as condições de acesso a serviços de saúde associados à reprodução, inclusive aos serviços de abortamento legal em condições adequadas (aborto seguro)".
O vídeo é interessante pois incita a dúvida quanto à criminalização, é um começo admito, sem propostas ou orientações maiores. No entanto ilustra como se este debate pela legalização for promovido em várias instâncias da sociedade, ele pode ganhar forma política.

Acho que vou te ver amanhã na disciplina da Cintia.

Drixz disse...

Nossa, eu já tinha visto esse vídeo e nem me lembrava. Adorei a dica. Vou incorporar.

Bjks e até amanhã.

luci disse...

o que eu acho uma pena eh que posts com esses não sejam lidos pelas pessoas que sao contra o aborto. e alias, agora pensando bem, acho que mil posts com esse, mil videos desse tipo e tudo o mais que pudesse fazer as pessoas entenderem o que você tah querendo dizer, nao seriam validos. aborto eh coisa do diabo pra maioria da populacao. e mesmo aqueles que nunca pararam pra pensar no que significa isso, dizem logo que sao contra, porque o raciocinio eh sempre "aborto = morte". terrivel.

(otimo otimo post!)

Strepsiades disse...

peloamordedeusdrica!!!

O que diabos alhos tem a ver com bugalhos? 1º - a maioria da população brasileira É SIM contra o aborto. 2º - boa parte dos movimentos contra o aborto têm esse nome: cidadania pela vida. vide as frentes e movimentos que vivem aqui no parlamento. 3º - os caras têm todo o direito do mundo de defender o que acreditam, seja "mascarando" num show ou não... mesmo pq não será a elba ramalho que vai mudar a opinião de ninguém, ou a mídia cobrindo o "movimento" que irá despertar sentimento anti-aborto em quem é pró. 4º confundir religião com estado nessa hora é loucura, né?

Sou a favor da legalização do aborto pelo simples motivo de ser um liberalista. Acho que cada um tem o direito de fazer quase tudo o que quiser. O Estado, e a vida, vão tratar de punir as merdas que cada um faz. Mas, sou completamente contra a prática do aborto, quando não envolver questões que ponham em risco a vida e a saúde mental da mãe. O aborto é o crime mais COVARDE que alguém pode cometer. O que está sendo gerado dentro da pessoa é uma vida, independente de convicções religiosas ou filosóficas. Quem comete o aborto está acabando com uma vida que não tem a menor condição de se defender... e é aí que o Estado entra. E, como todo estado democrático, interfere por representar os interesses da maioria da população.

Se a população é pessimamente instruida, etc, é outra discussão. Mas a verdade é que as pessoas pró aborto ainda são grande minoria no Brasil (reflexo, até mesmo, da má distribuição de renda). Ou seja, democracia. deal with it.

Ps.; o que diabos a campanha tem de autoritária. juro que não entendi. convidar para uma manifestação? todo mundo tá indo a base de chicotadas??

Drixz disse...

Márcio, eu teria que puxar outras discussões para responder a maioria das suas perguntas. A questão é que o ministério da saúde está apoiando. Isso eu acho autoritário. Autoritária tbm, pra mim é a posição do Estado. E o aborto é criminalizado, esse é o problema. Ninguém está brigando pela banalização do aborto. Queremos que as mulheres parem de morrer nas mesas de carniceiros. Ninguém se pergunta o que leva uma mulher a abortar um filho. Quem aborta não toma uma decisão fácil, Márcio, principalmente quando recorre ao carniceiro. Em que situação de desespero se encontra essa mulher para arriscar a própria vida para não ter uma sob sua responsabilidade. Quanto achar que abortar é um crime hediondo, eu não concordo. Os meios contraceptíveis são falíveis e ainda trazem um grande dano pra saúde da mulher. O funcionamento da pílula em si é tão ediondo para o corpo da mulher quanto o aborto. Se o meio contraceptivo falhar? Putz, vc tava se protegendo e agora? Ponha-se no lugar de alguém que não está preparada para a maternidade, não queria, não teve 100% de culpa na gravidez, mas que com certeza terá no mínimo 80% da responsabilidade sobre essa criança.