sábado, 21 de julho de 2012

Das amizades e das amizades

Em comemoração tardia ao dia do amigo, um post também tardio.

"Antes de me mudar para a Suécia imaginei que ficaria um ano tentando afastar a tristeza e procurando algo para fazer. Hoje depois de seis meses aqui, minha situação é bem melhor do que eu esperava. Em parte porque já no Brasil eu estava trabalhando tanto que mal tinha tempo para minha família e meus amigos. Isso era ruim por um lado, mas era bom por outro, pois de uma forma, eu fui preenchendo a necessidade de estar sempre em contato direto com meus amigos. A minha família, com todos os prós e contras, eu sei que posso sempre contar com ela, do jeito meio torto dela, mas eles não vão mudar o que sentem por mim apenas porque estou longe. De fato, acho que minha mãe está até mais carinhosa comigo. Eu sabia que ela ia sentir minha falta, mas ela faz o tipo durona e por telefone não costuma ser muito carinhosa, mas não imaginei que de fato ela fosse amolecer tão rápido.

Os amigos, os amigos... é outra história. Um amigo do Marcos paquistanês estava conversando com a gente outro dia e me disse algo que me fez pensar. Ele disse que quanto mais velho a gente vai ficando, menos amigos de classes sociais diferentes a gente tem. Não lembro bem, mas acho que ele disse até que a gente não é amigo de gente mais rica que a gente. Bom, eu discordo em parte, mas não posso deixar de reconhecer a sabedoria dessas palavras.

É verdade que para as pessoas onde o dinheiro e o status são objetivos de vida e qualidades individuais, não conseguimos manter as amizades, por mais que não aconteça nenhuma briga ou discussão responsável por terminar a amizade. Isso porque a pessoa que tem dinheiro e se isso é realmente algo que faz a diferença para ela, vai nos considerar chatos, entediantes e "losers" se não temos dinheiro.

É feio dizer isso, mas acho que é uma das possibilidades sim. Alguns podem dizer que é porque não vamos para as mesmas baladas ou não curtimos as mesmas músicas, mas me diga, vc realmente vê os seus amigos todo o final de semana? Não vê-los os torna menos amigos? Eu posso não gostar das mesmas músicas que muitos amigos, mas não vou negar um convite para um churrasco só por causa disso. Talvez eu tenha problemas para chegar ao churrasco, mas como acontece normalmente com amigos, eles oferecem carona e eu não ia achar ruim se pedissem para rachar a gasosa.

Mas o que acontece de verdade, é que vc parece menos "cool" aos olhos de alguns amigos pq não tem um iphone ou um ipod para "interagir" com eles. Ou pq não postou as fotos da última coisa que vc comeu no facebook ou sei lá, pq vc tá se lixando para o sapato caro que sua amiga comprou pq achou ele feio, mas não pode falar mal, pq é um Mark Jacobs! Isso é um pouco estranho de entender, se parar para pensar, pois não nos tornamos amigos das pessoas pelo que elas tem, mas chega um ponto que o fato de vc não ligar para o dinheiro dos seus amigos parece realmente incomodá-los."

Mas como disse hoje por e-mail a minhas amigas - amigos que são amigos de verdade podem ter realidades socioeconomicas diferentes, religiões, diferentes culturas regionais e tudo mais. As diferenças não se tornam divergências e quando a amizade vale mais do que um iphone.

Hoje eu sei que os amigos que perdi o contato podem sempre reaparecer, aqueles que perdi a amizade foi para o bem, vai com zeus e amém!

Para todos aqueles, reais e virtuais, um beijo e um abraço!

2 comentários:

Will Moa disse...

Adorei tomar esse gole de café com você, amizades são presentes mesmo, algumas nos surpreendem...

ótima semana para você!

Carol foca disse...

Curti!! :)
Beijocas!! :*