quinta-feira, 15 de abril de 2010

Vamos falar do que interessa

Depois eu continuo a minha comparação. Vou preparar um texto mais elaborado pois percebi que há muitos enganos a respeito do feminismo e eu não quero contribuir pra isso. Mas hoje quero comentar algo que me parece muito estranho. A UnB está em greve (guerra) a 36 dias e não aparece nenhuma nota no jornal. O único lugar onde se pode obter informações sobre a greve é no site da universidade. O quê é uma sorte (ou azar), pois indica que o pessoal da secretaria de comunicação não entrou em greve.

Muitos alunos vem até mim pedir informação e no começo isso me irritava um pouco pois achava que era preguiça de procurar. De fato, também, mas quando o site da UnB foi inaugurado ele demorava semanas para ser atualizado. Eu mesma não pensaria em procurar as informações ali. A imprensa prefere revirar a vida do psicopata desde que ele nasceu ao deixar um espaço para informação. O que é mais grave é o motivo da greve. Uma briga entre o presidente e seu ministro, que parece ser quem usa as calças nessa história. Até mesmo a ministra do STF está tentando mandar no cara e ele sempre dá um jeito de enrolar. Essa briga me lembra uma história que eu fiquei sabendo do meu avô, que trabalhava no diário oficial. O JK fazia promessas e elas só teriam validade se publicadas no DO. Ele dava então um bilhetinho para o sujeito. Quando o sujeito saia da sala, JK ligava imediatamente para o meu avô dizendo "Vai chegar um cara aí com um bilhete meu, mas não é pra atender o pedido não."

Por isso eu acho que a UnB está mais do que certa em esperar a folha de pagamento certa, um decreto, uma lei e todas as garantias formais de que não será lesada. Outra coisa que me passou pela cabeça é se esse ministro tem alguma ligação com o Arruda. Porque se nós gostarmos de conspiração, essa seria uma muito boa. O principal foco de manifestação contra o governo do GDF são os estudantes da UnB. Fazendo uma greve vc dispersa quase que por inteiro o movimento. Até porque os estudantes estão mobilizados em apoiar os professores e servidores da universidade. É causa demais pra abraçar ao mesmo tempo.

Nenhum comentário: