segunda-feira, 8 de março de 2010

Alguém dê um jeito nessa bagaça!

Tenho assistido os jornais de vez em quando e só se fala no Arruda e seu esqueminha. A repercursão do caso tem sido grande e inclusive parece ser uma unanimidade a não intensão de intervir no DF. Eu fiquei chocada ao saber disso. É unânime entre quem? Ninguém perguntou pra mim nem para todas as pessoas que eu conheço.

Muitos falam em uma discordância entre a lei orgânica do DF e a Constituição. Bom, eu sempre achei que o único concenso que existia no país era a Constituição. Se há alguma discordância ela deve ser resolvida e acho que não há melhor hora. Outro "problema" que parece haver no ato de intervir no governo do DF é que ninguém sabe como fazê-lo. Eu acho que isso se deve ao fato de nunca ter existido antes a infeliz oportunidade de se fazer algo parecido. Porque não aproveitamos então a chance para intervir e ver o que acontece?

A opinião pública não é aquela que mostram no noticiário. Mesmo o nosso ilustríssimo ex-governador, que foi quem criou o esquema, aparecendo constantemente numa propaganda local veiculada pelo seu partido (PSC) dizendo que uma intervênção ao DF fere a autonomia do mesmo não é suficiente para nos convencer. Além de ser bastante hipócrita, vindo de um governador que já foi indicado pelos militares para governar o DF nos tempos da ditadura.

Todos sabemos que o políticos de Brasília (não necessáriamente brasilienses) estão trememendo de medo de uma intervênção, pois como se diz na linguagem popular "o buraco é bem mais embaixo". Ademais, é um pouco confuso defender a autonomia de um Distrito que não é considerado como um Estado e tem toda uma série de particularidades e limitações. Para que serve essa Câmara Legislativa? Descobrimos que além de ser recordista em propor leis inconstitucionais ainda é exímia praticante do peculato.

Na minha opinião, que não é lá grandes coisas visto que sou uma cidadã, é de que deveriam fazer um plebiscito para decidir se a população que ou não a intervenção. Mas estranhamente essa alternativa democrática não está prevista nem na lei orgânica do DF nem na Constituição.

Um comentário:

Strepsiades disse...

Bom Drix, você também não perguntou para todas as pessoas que você conhece, se eles são a favor da intervenção. Se tivesse feito, veriam que boa parte delas (pelo menos a em comum, que estavam na laje) são contra.

Você já leu na Constituição pra quê serve uma intervenção? Abre lá: artigos 34 a 36.Por incrível que pareça, o DF não se enquadra em nenhuma delas. Por mais que a OAB tenha tentado, os poderes continuam independentes, os serviços públicos estão funcionando, os salários dos servidores e os compromissos financeiros do DF estão sendo pagos. Ou seja, para quê intervir se o ente federativo está funcionando? Como eu disse pro Otávio, BSB seria o orgulho da vida de Bakunin!

Pq o governador e o vice não estão mais no governo? Pq a câmara têm parlamentares corruptos? Ora, a própria Constituição e a complexa malha jurídica brasileiro não preveem remédios para isso? Não há por que intervir! Muito pelo contrário, intervenção, por incrível que pareça, geraria causa para intervenção (??) segundo o art. 34, VII, c, uma vez que o DF é um ente híbrido.

Além de banhado de um oportunismo político ímpar, a intervenção é dar o maior atestado de desrespeito constitucional num ente federado INDEPENDENTE e FUNCIONAL.

Por mais que eu não goste do Roriz e toda a outra patota política daqui do DF, eu tenho de concordar em uma coisa com eles (inclusive com os pré-candidatos do PT): INTERVENÇÃO NÃO!!!