quinta-feira, 20 de maio de 2010

Sociologia x Biologia

Só para avisar ambos os profissionais da área, esse é um assunto que ainda pretendo me aprofundar. Isso quer dizer que só irei dar uam idéia geral.

Os sociólogos tentam entender o início da sociedade e invariavelmente tocam nos primeiros seres humanos e nos homo sapiens. O mais engraçado entretanto é que não entendem chongas de Biologia e sempre tentam colocar as coisas pelo filtro valorativo dos estudos sociológicos. Eu estava lendo um texto do Clifford Geertz e outro do Berger e do Luckman falando sobre o nascimento da cultura e das instituições.

Realmente eles falaram muito de Biologia, mas não citaram nenhum biólogo. O que mais me chamou a atenção foi descobrir que existe uma área da biologia chamada Sócio-biologia, pois o ser humano é um animal social com todas as implicações do termo. E os sociólogos me chegam ao final das suas análises chegando a essa mesma conlusão através de um caminho para lá de tortuoso. Devido a enorme complexidade da cultura humana os socioólogos, para justificarem sua existência acabam valorizando o homem como se este não fosse um animal. A única coisa que eu concordo é que o aspecto mais particular do ser humano é a sua linguagem. Não é a única, mas é a mais complexa. A existência de uma cultura ou de uma sociedade não é suficiente para anular a condição animal do ser humano. Eu acredito nos instintos, embora eu ache, por exemplo, que o instinto pode fazer com que dois homens se sintam sexualmente atraídos um pelo outro. Eu não posso provar a minha hipótese, preciso de mais leitura no âmbito da biologia, mas para falar de sociedade e cultura a posteriori eu não precisaria entender de biologia. Porque então meter o bedelho nessa área? Eu tenho uma hipótese: A ciência tem credibilidade, ela pode ser provada empiricamente (dados, números, gráficos, matemática). Diferente das Humanas onde a maior e melhor metodologia é a dialética (que as pessoas tem preguiça de entender, acompanhar ou ler).

A dialética não tem Qualis da Capes, não entra em avaliações de pós, não rende bolsas de estudo, não dá dinheiro. E a pesquisa hoje é um grande negócio onde os números provam a qualidade, mesmo que não façam o menor sentido dentro do campo do conhecimento que vc trabalhe. E vou falar a verdade, eu odiei o estruturalismo que colocou as ciências humanas nessa lógica científica e detesto ainda mais essa idéia cartesiana de que temos que provar nossos pontos de vista. Esse excesso de especialização e falta de "dialética" me faz sentir falta do tempo onde a maioria do conhecimento fazia parte da filosofia.

Na falta de alternativa, vou estudar socio-biologia e sociologia para apontar um novo ponto de vista. Se é para falar de evolução humana, que a entendamos.

2 comentários:

Pudou disse...

Kropotkin faz relações bem legais entre seus ideais de sociedade e análises biológicas de criaturas que viveram o mutualismo.

Vale conferir para encrementar isso.

Parabéns pelo blog.

Drixz disse...

Obrigada pela dica, Pudou. Perdi um pouco o interesse pelo assunto no momento, mas guardarei a dica para a próxima vez que quiser falar do tema.