quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

O morro dos ventos uivantes


Todas as mães adoram esse livro. Pelo menos a minha mãe e a minha tia falaram muitíssimo bem desse livro várias vezes. Tanto assim que alguns, muitos, anos atrás eu estava passeando pelas estantes da BCE procurando um livro que provávelmente não me agradara nem a idéia de ler. Mas continuei minha procura. Com o endereço da estante anotado na mão e uma dificuldade enorme de enxergar os nomes nas prateleiras mais altas... Eis que me deparo com ele, O morro dos ventos uivantes, amassado, um pouco gasto, mas até que tinha uma capinha moderninha. Levei-o para casa com mais meia dúzia de livros que não precisava ler.

Eu realmente me surpreendi com o livro. É muito bem escrito, forte, conciso. Muito diferente da maioria dos escritores da época, Emilie Brontë marcou a época e o estilo com seu livro. Um romace atravessando décadas, que nos faz refletir a respeito da força dos sentimentos e como, através dos séculos, pessoas se dividiram entre o amor e a ambição ou entraram em choque com tradições e costumes.

Mas eu nem entendia muito bem essas coisas quando o li. Fiquei tão absorta na história que acabei despertanto a curiosidade de todos lá em casa. Até minha mãe quis ler o romance novamente. Mas o mais interessante é que toda essa emoção e interesse causados pelo livro ficaram latentes. Eu não me lembrava muito bem da hitória quando, passando distraidamente pelas estantes de DVD's do meu sogro, encontro de novo, com a capa parecida com a do livro, O morro dos ventos uivantes (dir. Willian Wyler). E não é que após assistir, todo o livro me voltou à mémoria? Uma ótima adaptação para o cinema. Vai aí uma dica.

Um comentário:

Mari disse...

eu já devia ter lido esse livro, mas não li... vou por na minha listinha de 2009 =)
bjos amiga!