terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Incerteza

"Não se deve escrever no calor do momento", um poeta uma vez me falou. Mas o momento se foi a muito tempo e seu calor ainda não passou. E mesmo assim eu preciso escrever. O problema é que eu mal sei por onde começar.

Quando defendi meu mestrado estava arrumando as malas para mudar de país. Não tinha grandes expectativas, pois não tinha nenhum papel que me dissesse o quão bom meu inglês era. Acreditei por muito tempo que não sabia falar a língua. O tempo foi passando e um dia eu ouvi de alguém que nada tinha a ver com meu círculo de amizade "your english is no problem at all". Fiquei feliz e triste ao mesmo tempo.

Passei nove meses me boicotando porque me achava incapaz de procurar emprego por causa do meu inglês. Infelizmente o inglês não era suficiente, precisava falar a língua do país. Sueco não é nada fácil, mas tinha a impressão de que exageravam os problemas. No fim, não pude fazer a prova nacional, não ganhei o papel. Achei que não falava a língua. Mais uma vez me enganei. Mas era tarde para (re)começar. Estava voltando.

Aqui no Brasil tentei fazer o que tinha vontade, me empenhei, estudei e não consegui. Dizem que precisamos tentar mais de uma vez, ser persistente. Mas se nos exigem persistência, quando saber a hora de desistir?

Agora eu tenho papéis, muitos papéis. Que dizem minhas habilidades, qualificações, eu sinto que sei, que sou capaz, mas não vejo nenhum retorno. O que estou fazendo de errado? Porque ninguém diz?

Um comentário:

Glória Maria Vieira disse...

Eu posso dizer? Agora adianto que sou só uma estudante de jornalismo muito sentimental, cheia de graça e fãzoca de você.